Reforma da Previdência: Senado finaliza discussão em segundo turno.

 

O Senado Federal concluiu, nesta quarta-feira (16), a última sessão de discussão, em segundo turno, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019 sobre a reforma da Previdência. A votação final da proposta deve acontecer na próxima terça-feira (22).

As nove emendas apresentadas à PEC da reforma da Previdência devem ser votadas logo no início na CCJ, que deve iniciar às 11h. Mais tarde, acontecerá a votação da proposta no Plenário. Reforma da Previdência O Senado aprovou a reforma da Previdência em primeiro turno no dia 2 de outubro. O texto aprovado prevê uma economia de pouco mais de R$ 800 bilhões em um período de dez anos.

Em contrapartida, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou no Fórum Econômico Mundial, em Davos, no dia 23 de janeiro deste ano, que o governo economizaria R$ 1,3 trilhão em dez anos com a reforma da Previdência. A redução da previsão de economia ocorreu por conta de mudanças no texto inicial. A proposta de alterar as regras para a concessão do abono salarial, por exemplo, desidratou a reforma em R$ 76,4 bilhões.

De acordo com Leonardo Trevisan, professor da ESPM – SP e especialista em questões previdenciárias, mesmo com a redução, a proposta principal do governo foi atingida. “Na essência, reforma previdenciária alcançou seus objetivos, o que não alcançou foram especificamente os benefícios sociais”, afirmou Trevisan. Impactos da economia com a reforma Segundo Trevisan, no cenário interno, os recursos poupados pelo País poderão ser destinados, por exemplo, para o setor de infraestrutura.

Neste caso, o governo poderá utilizar o montante poupado para a construção de vias de acesso e para a otimização da saúde pública. “O Brasil poupará cerca de R$ 800 bilhões e poderá dedicar os recursos para outras prioridades da população, até mesmo para melhorar as estradas e construir hospitais, por exemplo”, explicou o professor.

No contexto externo, o especialista explicou que a confiança dos investidores estrangeiros em relação ao Brasil aumentará com a aprovação da reforma da Previdência. Isso porque, segundo Trevisan, os investidores terão uma percepção que o País está desenvolvendo uma disciplina fiscal. O conceito indica que o governo brasileiro está limitando os gastos ao valor que arrecada, portanto, reduzindo o endividamento.

Fonte: <a href=”https://www.sunoresearch.com.br/noticias/reforma-da-previdencia-senado-finaliza-segundo-turno/”>Reforma da Previdência: Senado finaliza discussão em segundo turno</a>

0 Comentários

Os comentários estão fechados.